De Futebol

Flamengo defeated Santos 2-0 in the first leg of the Copa do Brasil in Rio. The second leg will be at Peixe’s house.

Globo Esportes: “Um tempo de ampla superioridade do Flamengo, outro de mais presença do Santos. Colocando na balança o tamanho do domínio de um e de outro, a vitória do Flamengo já seria plenamente justificada. No entanto, a vantagem de dois gols foi selada com um gol de Cuéllar a três minutos do fim, quando o rubro-negro tinha dificuldade de sair de seu campo e o fim de jogo já parecia bom negócio. Os 2 a 0 da Ilha do Urubu dão certo conforto para a volta, dia 26 de julho, na Vila Belmiro, quando será definida a vaga na semifinal da Copa do Brasil..

A impaciência reinante no futebol brasileiro chegou a criar uma convicção de que, com Zé Ricardo, o Flamengo seria incapaz de jogar bem. Quando, a rigor, mais justo seria dizer que, em 2017, ainda não atingira a evolução imaginada ou desejada. Ou dizer, ainda, que nos últimos jogos a equipe, de fato, atuara mal. O primeiro tempo desta quinta-feira mostrou 30 minutos de um time com muitas virtudes, especialmente na construção de jogadas, etapa do jogo em que o rubro-negro vinha tendo muitas dificuldades.

Significa que Zé Ricardo encontrou a forma de jogar e que o Flamengo entrará em franca evolução? Impossível dizer, já que futebol não é ciência exata e, no Brasil, treina-se pouco e joga-se muito. Mas foi possível vislumbrar um caminho, um padrão mais elevado.

É preciso levar em conta, na análise, o quanto a passividade defensiva do Santos comprometeu os paulistas, especialmente na falta de pressão sobre a saída de bola do Flamengo. O fato é que o time de Zé Ricardo gerou situações perigosas das mais diferentes formas. Em dois lançamentos longos, quando o Santos adiantou sua defesa, Éverton e Diego encontraram Berrío duas vezes. Em ambas, Vanderlei defendeu, numa delas em milagre. Com Pará buscando um corredor mais central, exatamente como Zé Ricardo dissera que pretendia em sua entrevista pré-jogo, saiu a tabela do lateral com Berrío e o cruzamento para Guerrero finalizar mal. E numa circulação de bola que foi à frente, retornou à linha de zaga e permitiu a Réver encontrar Guerrero, saiu o gol. O peruano deu toque sutil para Éverton fazer belo gol, aos 27 minutos.

O ritmo de um jogo que, por vezes, virou um ir e vir sem pausa, obrigou o intenso Flamengo a respirar. A movimentação de Lucas Lima criou certa confusão defensiva, mas não o bastante para que o rubro-negro concedesse chances reais ao rival.

Em futebol, o intervalo, por vezes, modifica a cara da partida, como se um novo jogo começasse. No início, o Flamengo parecia retomar a rédea, voltar a jogar com controle da bola no campo ofensivo. Chegou a ter boa chance em bicicleta de Berrío, dono de boa atuação até sair machucado, mas aos poucos o domínio das ações mudou de lado. A entrada de Vitor Bueno, que se posicionava ora como um atacante, ora como mais um meia, confundia a marcação e o Santos parecia conseguir vantagem no meio-campo.

O mérito rubro-negro era impedir que o rival tivesse muitas chances. Ainda que a torcida levasse sustos, como no lance em que Vitor Bueno quase marcou ou quando Copete concluiu a gol, embora impedido.

Restava ao Flamengo o contragolpe, porque o padrão coletivo para construir desde a defesa fora perdido. Conforme o Santos se adiantava, os espaços apareciam. Diego deu ótima bola para Éverton parar em Vanderlei, até que em nova jogada rápida, Guerrero tocou para Cuéllar dar bonito chute de curva e fechar o jogo.

https://oglobo.globo.com/esportes/em-casa-flamengo-vence-santos-pela-copa-do-brasil-21532835#ixzz4lWpBavqD

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s